domingo, 31 de janeiro de 2010

É, eu estive pensando em você.


Por tanto tempo a certeza se manteve presente, ignorantemente prepotente, sem acalentar dúvidas ou instigar pensamentos contrários.

E é fácil encontrar alguém que não sabe de nada, basta ver que ele tem certeza de tudo.

Hoje de manhã dei uma volta no parque até aquecer os músculos, tomei um café, pensei na vida, não tive certeza nenhuma além da que eu estou viva e que o ar que penetra meus pulmões era a única coisa que eu tinha efetivamente, mesmo que de forma temporária.

É, eu estive pensando em você por noites a fio, sem nenhuma certeza. Se ao menos eu soubesse que também pensa em mim, se eu ao menos sentisse você ao lado, na volta no parque, no sabor do café na coisas da vida.

Se ao menos soubesse tudo o que eu faço pensando em ti, mas, pensando melhor prefiro que não saiba, e que nem tente sentir o quanto é grande, sentimentos grandes de mais matam a alma, penalizam o corpo, condenam o coração.

E como num grande martírio, onde aquele que sofre não se torna santo ao final, você cai sem paraquedas do maior salto que já deu, amar é o principio e o fim de tudo, deixar de amar é morte, ainda que em vida daquele que não sente mais.

“ Um homem deixa de viver quando deixa de amar.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário