quinta-feira, 12 de abril de 2012

" Uma vida sem saudade."


Teria sido cruel comigo mesmo me afastar, fechar as portas, me manter calado. Teria e foi.
Entenda coração, certos jogos não são pra ti, não sabes guerrear com lanças e armas, não sabes. Deixe isso comigo, eu sei.
Entenda, vez em quando eu te deixo sair e se encantar, mas existem tão poucas merecedoras de ti que grande parte do tempo te mantenho preso, calado, no meu calabouço que é o lugar mais seguro pra você, não reclame, eu sei o que faço, pelo menos acho que sei.
Não sabes que todas as vezes que apronta das suas quem sofre sou eu? Sou eu quem padece em goles a mais e uma vontade desenfreada de explodir, explodir em um choro eterno regado a lágrimas de sangue. Então se mantenha calado moleque, eu quero cuidar de nós dois.
Tem sido complicado lidar com uma vida sem saudade, uma vida sem saudade é o mesmo que uma vida baseada na amnesia de acordar dia após dia tentando viver somente aquele dia e os próximos, como se o ontem não importasse mais, como se hoje fosse proibido amar e como se amanhã fosse tarde de mais pra isso.
O menino ergue a cabeça e anda, meio de lado, sempre atrasado com o olhar distante, anda de nariz em pé e olhar triste, sai pelas ruas a procura de um pouco de ilusão.
Olha só menino, coloque algo quente, hoje faz frio no centro do sudeste, ouvi dizer que pode ser que que faça até mais, coloque o sobretudo e o cachecol! Vez em quando coloque a mão contra o peito, verifique se os batimentos estão normais, não deixe que nada se altere, se mantenha quente, se mantenha frio.
Não brinque de forma sincera, nunca mais faça isso! Não olhe direto nos olhos, não fale baixinho e principalmente, não fale de sentimentos. Exiba apenas o seu sorriso maldito e um olhar impenetrável e ao mesmo tempo penetrante, não se deixe seduzir, no entanto, seduza!
E no final da noite siga a rota, vá pra casa, durma com a certeza de que mais nada lhe fará mal, afinal de contas por hoje só importa que a noite te pegue nos braços e te dê bons sonhos.
Escuta só menino, é o que eu te digo, me ouça, eu sou a razão, deixe esse coração tolo pra lá. É assim que não sentiremos mais dores. É assim que tende ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário